Um dia da minha vida em 2025 – Parte 3

Um dia da minha vida em 2025 - Parte 3

Era meia-noite, Ylla abre a porta. Junno sai e vê um dos Voltz se dirigindo a outro corredor. Então corre em direção à sala do lixo eletrônico. Só que havia um problema, como a sala já estava sendo esvaziada, a porta estava travada por questões de segurança.

Junno entrou em desespero. Em poucos segundos, chegaria um robô naquele corredor. Pensou em voltar para a sala ST25, mas, sem perceber, encostou o bracelete na fechadura da porta e acabou abrindo-a. Entrou na sala e, antes que todo o lixo eletrônico fosse esvaziado da sala, entrou na tubulação que leva o lixo para área externa da OUT.

O lixo era transportado por uma grande esteira na tubulação e, ao chegar ao final dela, Junno se vê do lado de fora da OUT. Mas ainda tinha que passar pelos portões. Como Osccar havia dito, havia três saídas e teria que escolher uma delas. Estava muito escuro e fazia muito frio. Junno observava, de longe, poucos Voltz patrulhando aquela área. Então ele observa uma pequena luz perto da floresta. Achou que poderia ser uma pessoa, então correu em direção à saída central.

Ao chegar ao portão, ele encosta o bracelete na fechadura, porém o portão não se abre e o bracelete emite um aviso em seu pequeno visor: “alarme silencioso disparado”. Em poucos segundos, vários Voltz se direcionam até Junno. Ele, sem saber o que fazer, levanta os braços e se entrega. Mas, ao olhar para cima, vê aquela luz que havia visto na floresta se aproximando. Era uma pessoa vestida com uma capa preta em cima de uma prancha voadora. Ela pega Junno pelos braços e, rapidamente, sai da OUT, levando-o para o lado contrário da floresta.

Dentro da OUT, Kress e outros responsáveis pela Organização são notificados do acontecido. Então ordenam que uma grande quantidade de Voltz vá em direção de Junno e daquela pessoa misteriosa que o tinha levado.

Enquanto isso, Junno estava assustado por estar sendo carregado pela aquela pessoa. Em pouco tempo, eles aterrissam e ele logo pergunta:

– Quem é você? Por que me trouxe até aqui?

Aquela pessoa logo tira aquela capa e mostra seu rosto, era uma garota. E, antes de responder sua pergunta, retira a pulseira de Junno com um pequeno aparelho.

– Sou quem você procura.

Junno percebe que era Anna. Então sobe na prancha a pedido dela e vão para a floresta. No escuro, o bracelete de Junno logo ilumina o local, facilitando o trajeto.

Minutos depois, chegam a um vilarejo com várias pessoas à espera. Anna se explica apertando a mão de Junno:

– Sou Anna Trassus. Desculpa pelo silêncio, após anos sendo perseguida, conheci muitas das artimanhas da OUT. Este vilarejo é o lugar onde nos escondemos e aperfeiçoamos algumas tecnologias para a destruição do T-Sol. E você deve ser Junno.

– Obrigado por me salvar. Mas como sabe quem eu sou?

– Encontramos a sua máquina do tempo, que é bem diferente, parece um relógio de bolso. Nela havia pequenas instruções escritas por Zatto explicando como evitar que a máquina do tempo se desloque para um local diferente do seu… e acho que você não leu. Inclusive havia instruções de como me encontrar.

Junno começa a rir e diz:

– Não tive tempo de ler todas as instruções. Zatto foi morto e eu seria o próximo. Ah, estive com seus pais na OUT…

Anna se alegra com a notícia e os dois compartilham toda a história que sabem. Logo depois, ela o surpreende:

– Ao consertamos a sua máquina do tempo, descobrimos que ela é o nosso único meio para evitar uma possível destruição do mundo. Ela não irá destruir o T-Sol, mas, com ela, podemos enviá-lo a um tempo e lugar no espaço bem distante da Terra. Já estudamos um ano e uma coordenada para enviar o T-Sol, mas a máquina é sua… e a decisão também. Ou fazemos isso que falei ou você usa a máquina para voltar ao passado. Sei que a máquina só viaja com uma pessoa ou objeto, por isso Zatto te enviou para o futuro, pois aqui há milhares de pessoas que podem ajudá-lo a destruir o T-Sol.

Junno fica silencioso e pensa naquela situação.

– Sei que perdi muitas pessoas no passado, mas não posso arriscar perder o mundo inteiro. Ajudarei vocês a destruir o T-Sol.

Enquanto todos que estavam ali demonstravam a sua felicidade, Anna leva Junno até uma das cabanas que havia ali. Ela abre uma porta para um porão e mostra a ele vários equipamentos.

– Diariamente, alguns de nós vamos até a área externa da OUT para pegar peças que são descartadas como lixo eletrônico. Com elas, criamos várias armas e equipamentos que podem ser utilizados no ataque à OUT. Peço para que, quando formos atacar a OUT, utilize uma prancha voadora e pegue o máximo de armas que puder levar, lhe ensinarei a usá-las.

Anna ajuda Junno na escolha dos equipamentos e vai para fora da cabana para ensinar a usá-los. Logo após, acomoda Junno em sua cabana, se alimentam e dormem. No meio da noite, Junno acorda e faz alguns ajustes em seu bracelete.

Conto participante do concurso “Um Dia da Minha Vida em 2025” organizado pela The Tomorrow Project Brasil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s