Retorno de um Anjo

Retorno de um Anjo (6)

Voava bem próxima do sol, não conseguia ver sua sombra lá embaixo. Não sabia o que sentia naquele momento, tinha a sensação de estar sendo guiada a algum lugar. Foi quando um pedaço de papel cai do livro que segurava, quis pegar, seu corpo a impediu.

A lua aparece, a sensação estranha desaparece, consegue de volta todos os seus movimentos. Nesse momento suas asas param, deixa o livro sair de suas mãos, apenas cai sem poder fazer nada.

De longe ouve-se um barulho no rio e um grande clarão entre as árvores do lugar. Estava quase se afogando quando foi resgatada por um rapaz que se atirou na água. Estava escuro, foi levada até uma pequena casa naquela floresta e colocada em uma rede. Mal conseguia abrir os olhos, mas sentiu uma leveza em suas costas. Seu coração acelerou rapidamente, seus pensamentos aumentavam de intensidade, parecia que havia perdido todos os seus sonhos, foi quando “apagou”.

Retorno de um Anjo

Retorno de um Anjo (5)

A medida que a distância se tornava maior, a saudade aumentava sua tristeza. Fazia muito calor, já não sabia mais onde estava, sentiu-se perdido. Depois de horas andando sem descansar, resolve parar um pouco. Olhou para trás, a sua vida já não pertencia a mais nenhum lugar. Continuou andando, foi procurar algo para se alimentar com o pouco dinheiro que tinha.

Entrou em uma lanchonete, lanchou rapidamente e saiu. De repente vê uma imagem estranha a sua frente, do outro lado da rua. Estava meio embaçada, mas parecia olhar fixamente em sua direção. Esfregou os olhos, a imagem havia sumido, resolveu atravessar a rua só por curiosidade. Estava em um beco mal iluminado, andou até o fim, não havia saída. Foi quando olhou para cima e sentiu ser encoberto por sombras, não viu mais nada.

Estava deitado no chão. Levantou-se meio tonto, não sabia o que havia acontecido. Viu um pequeno pedaço de papel no chão, resolveu pegar. “Do alto eu surgirei novamente…” era o que estava escrito. Não entendeu aquilo, guardou o pedaço de papel no bolso, pegou sua mochila e saiu dali. Já era noite, ficou admirado com o tempo que esteve apagado. Sua cabeça doía, não sabia onde passaria a noite, apenas andava pelas ruas escuras, pensava no que estava acontecendo. Parou perto de uma casa diferente das outras daquele lugar, não sabia como, mas tinha uma lembrança daquela casa em sua cabeça. Parecia vazia, o portão estava aberto. Estava tudo escuro, seria assustador, mas o seu pensamento o levou para dentro da casa, ali passaria a noite.

Retorno de um Anjo

Retorno de um Anjo (4)

Acordou tranquila, sabia que tinha que continuar a sua missão…

Continuou seguindo em frente, tentava se misturar àquelas pessoas. De repente surge uma lembrança, já esteve naquele lugar. Tenta se aprofundar naquele pensamento, ir além, buscar respostas. Seus olhos brilhavam intensamente, era estranho para as pessoas que ali estavam, então ela sai dali e corre sem direção.

Minutos depois ela para, já se sente melhor, abre os olhos e olha para aquele lugar onde está. Não se assusta e entra em uma cabana no meio do nada. Ainda era cedo e fazia muito frio apesar do sol que iluminava, o vento soprava forte. Encontra ali vários objetos abandonados, entre eles, um livro estranho em cima de uma mesa. Estava um pouco escuro, mas havia uma vela ainda acesa em cima da mesa, talvez alguém habitasse aquele lugar. Mas como alguém poderia morar naquele deserto, distante de tudo?

Andando pela pequena cabana ela encontra alguém no chão, um homem. Estava vivo, mas muito machucado, havia uma enorme quantidade de arranhões pelo seu copo. Ele viu que ela tinha um cordão em seu pescoço com um pingente em forma de uma gota d’água… naquele momento ele brilhava. E, antes de partir, o homem disse:

– Você veio do céu para espalhar o bem neste mundo. Ele precisa de você, pegue o livro…

Foi quando o homem fechou os olhos, parecia estar sem vida. O chão começava a tremer, tudo estava se afundando. E, sem entender tudo aquilo, pega o livro rapidamente e sai dali. Voa… o mais rápido que pode. Olha para trás e já não vê mais nada. Continuou indo em frente, seguia a direção do sol.

Retorno de um Anjo

Retorno de um Anjo (3)

O dia amanhece, ele acorda atordoado, preferia nunca ter sonhado com tudo aquilo. Fica cada vez mais confuso, mas sabe que deve abandonar toda aquela vida e seguir um novo caminho.

Depois de algumas horas, ele estava pronto para partir e, sem olhar para trás, vai atrás de novos sonhos. O seu passado já não importava mais, o mundo iria mostrar o tempo em que deve viver.

Apesar de ter a sensação de liberdade, sabe que encontrará muitos desafios que o prenderão. Desafios que valerão a pena passar por eles. Ainda não tem a noção do que virá pela frente, do tamanho do mundo que está vivendo, mas está confiante do que irá fazer. Aquele momento marcava a sua nova vida, a sua grande realidade…

Retorno de um Anjo

Retorno de um Anjo (2)

Naquela noite, como em anteriores, ele perdeu o sono… já tinha se acostumado com isso. Seus pensamentos o perturbavam pela intensidade de como surgiam e, naquele momento, estavam ainda mais intensos.

Sentia algo diferente, resolveu levantar de sua cama e ir para fora de casa. As ruas estavam totalmente desertas e, apesar do silêncio, seus pensamentos ainda faziam um grande barulho na sua cabeça. Sentou-se na calçada, em um lugar onde pudesse ver o céu. Viu a lua, ela brilhava cada vez mais forte, o confortava. Ficou ali por horas até sentir sono. Voltou ao seu quarto e, antes de dormir, sabia o que sonharia.

Retorno de um Anjo

Retorno de um Anjo (1)

Começou em um momento em que o vento parava de soprar…

Depois da demorada viagem, ela chega ao seu destino. Sente-se perdida naquela imensidão… já esteve em um lugar bem mais extenso. Sozinha, começa a seguir em frente. Não sabe para onde ir, mas sabe o que buscar e o seu objetivo.

Depois de andar durante horas, chega em um local populado e, antes de ser vista, muda a sua forma. Acha tudo muito estranho, mas já sabia que encontraria tudo aquilo. Agora precisava encontrar alguém entre as inúmeras pessoas daquele mundo. O desafio seria difícil, mas não impossível, chegou até ali e iria continuar até o fim.

O cansaço era imenso, resolveu procurar um lugar para repousar, pois as ruas já estavam ficando vazias. Por um instante, ela parou… aquele teria que ser o lugar para passar a noite. Deitou-se onde poderia ver a lua e, antes que adormecesse, sentiu o brilho refletir em seu olhar.